Portugal foi eleito para fazer parte do Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), com 182 votos, para um mandato de três anos a partir de 1 de janeiro.

Portugal marca presença no ECOSOC a partir de 1 de janeiro de 2021, junto de outros 17 países eleitos hoje. O órgão tem um total de 54 Estados-membros.

A missão permanente de Portugal junto da ONU já foi membro deste conselho entre 2015 e fim de 2017.Para obter uma cadeira no conselho foram necessários a maioria de dois terços dos votos, ou seja, no mínimo 128 votos em caso de participação dos 193 membros das Nações Unidas.Junto de Portugal, garantiram os seus lugares no ECOSOC a Alemanha, Argentina, Áustria, Bolívia, Bulgária, França, Guatemala, Ilhas Salomão, Indonésia, Japão, Libéria, Líbia, Madagáscar, México, Nigéria, Reino Unido e Zimbabué.O ECOSOC foi criado em 1945, como um dos seis órgãos principais da ONU, e atua, em ligação a outras entidades da organização, para o desenvolvimento sustentável, em três dimensões principais: económica, social e ambiental.Este órgão promove um fórum político de alto nível e um fórum de cooperação para o desenvolvimento, além de, todos os anos, estruturar o seu trabalho em torno de um tema anual de importância global para o desenvolvimento sustentável.Também hoje foram escolhidos quatro membros não permanentes para o Conselho de Segurança, faltando um lugar para os Estados africanos. Assim, a Índia, Irlanda, México e Noruega passam a fazer parte do Conselho de Segurança no início do próximo ano, com um mandato de dois anos.Quinta-feira será realizada uma nova votação para eleger o representante africano, entre Djibouti e Quénia, que não obtiveram hoje o mínimo de dois terços dos votos.As eleições de hoje na ONU contemplaram também a presidência da Assembleia Geral, que a partir de setembro pertencerá ao turco Volkan Bozkir.

António Guterres foi eleito secretário-geral da ONU em 2016, tendo assumido o cargo no ano seguinte, com um mandato até 31 de dezembro de 2021.

  • Partilhe